segunda-feira, 13 de agosto de 2012

No domingo


Cassino em Monte Carlo

 Acordamos cedo e fomos tomar café nesses restaurantes de rua, comemos uma salada de frutas cada um, um suco também para os dois, um café pro lindo e uma quiche para mim e lá se foram quase 30 euros.
Passamos algumas horas bem agradáveis na praia, o lindo não se conteve e tirou algumas fotos das mulheres fazendo topless. Cada um com suas coisas. Conversei com uma paranaense que estava de férias com a filha que trabalha na Renault e mora lá. Ela trabalha numa universidade federal do Paraná, é responsável pela área de intercâmbio e meu deu boas informações, que com certeza passarei aos meus filhos e amigos.Perto do meio dia voltamos ao hotel, paramos num mercado onde compramos vinho rose e queijos para levarmos para casa.
Saimos do hotel em direção a Monte Carlo, que eu também não conhecia ainda. De novo pela orla, com paisagens maravilhosas. Chegando a Monte Carlo, caminhamos pela área que rodeia o cassino e de novo o lindo foi jogar, ganha e perde e sai sem o dinheiro inicial, que é muito pouco, é só para ele se divertir.
De novo na estrada, o GPS, nos mandou pela orla. Nesses momentos amo o GPS, pois me proporciona passeios maravilhosos. Paramos lá pelas 4 hs da tarde num lugar muito simpático chamado Mentom, comemos muito bem por um preço honesto e apreciamos a paisagem e as pessoas. Comentamos entre nós que é um lugar maravilhoso, para se passar umas férias de verão, quem sabe um dia não voltamos, né?????
De volta na estrada o carro veio para minhas mãos, o GPS, nos colocou numa estrada barroca, que ao final nos colocou de volta a mesma que tínhamos utilizado para ir. O lindo quase teve uma símcope, pois queria ir pela auto estrada. Eu, em alguns momentos fiquei cansada pela quantidade de curvas fechadas, era bem pior que subir e descer  a Serra do Rio do Rastro, mas ao final aproveitei bem o passeio.
O bom foi que encontramos já quase em Cúneo, uma produtora de fungui e tartuffi, vendendo seus produtos a beira da estrada. Pagamos 50 euros por 5 trufas negras, preço muitissimo bom, e assim conseguimos fazer um agrado a nossa filha, que vem sonhando com elas a muito tempo.
Em casa fotografamos as trufas e postamos para que ela as apreciasse. Começamos também a pesquisar, uma forma de mantê-las até que nossa menina chegue. Depois de muitas pesquisas, decidimos fazer uma omelete com uma delas, uma guardamos no arroz cru, uma no azeite de oliva e duas em papel toalha, todas foram colocadas em vidros e fechadas erméticamente. Mais adiante, quando voltarmos a Itália conto o que aconteceu com nossas conservas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário